Lidando com as novas fontes de estresse no ambiente de trabalho

Profissional S/A - Cartórios

Ler este texto poderá ajudá-lo a lidar com este período tão desafiador em que as pessoas e as empresas vivenciam mudanças drásticas provocadas pelo distanciamento social.

Neste cenário, as atividades de gestão no dia a dia do cartório extrajudicial ficam sujeitas às circunstâncias que provocam insegurança, medos e incertezas e que podem provocar estresse nesse “novo ambiente de trabalho”.

Algumas fontes de estresse já são conhecidas a quem assume a delegação notarial e de registro. A lista é longa e três delas têm sempre presença garantida:

  1. Necessidades constantes de redução de custos na serventia;
  2. Esforços para elevar a eficiência nos atendimentos;
  3. Ações diárias para o recolhimento de taxas, impostos e informações gratuitas aos órgãos públicos.

Novas fontes de estresse provocadas pelo sistema atual de trabalho se somam a essa lista como a necessidade de ser instituído o trabalho à distância – o home office –, como também o cumprimento de protocolos de isolamento social, as jornadas flexíveis de trabalho ou a implantação de novas regras e tecnologias, são outros exemplos.

Pesquisas demonstram que a principal fonte de estresse, para a maior parte das pessoas, é o trabalho. Se então conhecermos o que causa estresse, o que pode ser feito para reduzi-lo?

Existem algumas estratégias que se mostram eficazes na redução do nível de estresse no ambiente de trabalho, tanto na abordagem individual quanto na empresarial.

1. Na abordagem individual
O funcionário assume a responsabilidade de reduzir o próprio nível de estresse assumindo medidas como:

  • administrando melhor o tempo priorizando as atividades por importância e urgência;
  • adquirindo o hábito de praticar exercícios físicos e monitorando a dieta alimentar;
  • treinando técnicas de relaxamento como meditação ou mindfulness, tão em moda na atualidade;
  • evitando ser perfeccionista quando a “perfeição” não é o mais importante;
  • conversando com amigos, parentes e colegas como válvulas de escape.

2. Na abordagem empresarial
Atividades coordenadas pelos gestores, o tabelião, o oficial ou os líderes de equipes, propondo alteração de atividades ou rotatividade de funções por meio de:

  • redesenho de tarefas de trabalho rotineiro;
  • aumento do envolvimento dos funcionários em atribuições do seu setor;
  • manutenção de canais de comunicação abertos;
  • ofertas de programas de capacitação e treinamentos, individual e das equipes com potencial de crescimento;
  • implantação de programas que promovam o bem-estar e mantenham a motivação dos funcionários.

Programas de bem-estar
Massagens feitas no local de trabalho para alívio da tensão muscular já são praticadas em alguns cartórios extrajudiciais, que disponibilizam uma área específica designada como local de bem-estar e descompressão, para usar outro termo do momento. Outra abordagem que vem crescendo por sua eficácia na prevenção do estresse é permitir um cochilo de 15 minutos, que são suficientes para restaurar os efeitos da fadiga.

É fato que quando os funcionários sentem que poderão equilibrar as suas responsabilidades no trabalho com as da família, o impacto provocado por situações estressantes será menor, não influenciando, ou influenciando menos no desempenho e no clima organizacional.

Estresse positivo
As pessoas reagem de formas diferentes diante de situações de estresse, pois depende da personalidade de cada um.

Há, normalmente, aqueles menos experientes na atividade que desempenham e que podem ser vulneráveis a situações de estresse, enquanto que outros, mais maduros, se adaptam mais facilmente e conseguem até melhorar o desempenho, tendo a habilidade de utilizar de maneira saudável e positiva a energia produzida nessas situações.

Os sinais de estresse são sutis e podem ficar ocultos, dificultando ações para conter os seus sintomas.

Uma sugestão aos gestores é observar e avaliar a distração e a incapacidade de concentração do funcionário durante a prática dos atos notariais, que poderão comprometer a segurança jurídica que têm grande valor agregado e elemento fundamental de alta importância.

Sugestões e práticas não faltam para melhorar a saúde, o bem-estar e como melhor lidar com situações de estresse, ainda mais agora em que tarefas são executadas presencialmente enquanto outras permanecerão à distância.

Como é uma realidade que as disrupções devam continuar criando impactos no ambiente de trabalho, o comportamento de apoio dos gestores que beneficiem os funcionários a se sentirem mais eficazes deverão ser constantes na relação dessas práticas.

Deve-se, no entanto, aplicá-las no cartório extrajudicial de acordo com as características da equipe, objetivando sempre a segurança, a agilidade, o coletivismo e a paz.

Até nosso próximo encontro.

Publicado originalmente no Jornal do Notário – ANO XXII – Nº 198 – JUL/AGO – 2020, pgs. 30 e 31.

 

Escrito por Gilberto Cavicchioli

Consultor de empresas, é professor da ESPM, Fundação Getúlio Vargas e SENAC; realiza palestras motivacionais, treinamentos e capacitação de pessoas no ambiente de negócios, coordena o site profissionalsa.com.br, é colunista em revistas especializadas e é autor dos livros: O Efeito Jabuticaba e Cartórios e Gestão de Pessoas: um desafio autenticado.